rf_mag_mmhai_mathildelevaudi_principal_visual_1-1

Eu, o meu cabelo, etc.

Aceito o meu cabelo de dois tons

Mathilde Levaudi,

advogada

Como, aos 30 anos de idade, decidi aceitar o meu cabelo tal como ele é

Esta é a história de cabelo muito branco, que apareceu pela primeira vez quando tinha 17 anos. Mathilde tentou encobri-los durante anos, e depois parou. Hoje, com apenas trinta anos, deixa-os viver. Preto e branco juntam-se, criam um contraste; e é bonito. Transformou-se num verdadeiro estilo, realmente fascinante. Até os seus óculos são de duas cores. Mathilde atreve-se, e é copiada.

  • <span class="ezstring-field">rf_mag_mmhai_mathildelevaudi_triptych_visual_1_4-5</span>
  • <span class="ezstring-field">rf_mag_mmhai_mathildelevaudi_triptych_visual_2_4-5</span>
  • <span class="ezstring-field">rf_mag_mmhai_mathildelevaudi_triptych_visual_3_4-5</span>

Como reagiu ao seu primeiro cabelo branco numa idade tão jovem?

Eu andava na escola secundária, e acreditava que se arrancasse um, nasceriam dez no lugar desse. Por isso, resolvi cortá-los, às escondidas, como quem não quer a coisa. Comecei a pintar o cabelo quando tinha vinte anos. Mas com a minha base "castanha escuro", as cores já não cobrem o cabelo branco, que é realmente muito branco. Por isso, resolvi pintar de preto. Radical. Mas ir ao cabeleireiro de três em três semanas era caro. Por isso mudei para as tintas caseiras. Eram muito restritivas; demovam uma manhã de sábado inteira. E danificou-me o cabelo. Cerca de dez anos depois, decidi parar. Houve algum momento de decisão?

Houve algum momento decisivo?

As pessoas à minha volta tiveram muito a ver com isso, especialmente os homens: o meu pai, o meu companheiro e os meus amigos, que talvez não tenham as limitações que as mulheres têm, tinham um olhar encorajador. Disseram-me: "Sê ousada. Tens uma personalidade que te permite sentires-te confortável assim" E depois houve uma viagem. Fui ao Equador durante três semanas. Decidi deixar-me ir, dizendo a mim própria que não precisava de pintar o cabelo daquela vez. Quando voltei, resisti. Apeteceu-me voltar a algo natural.

Disseram-me: "Sê ousada. Tens uma personalidade que te permite sentires-te confortável assim"
rf_mag_mmhai_mathildelevaudi_verbatim_visual_2_4-5

Quais foram as reações à sua volta?

No início tive de dizer "não, o meu cabeleireiro não está morto"! (risos). Tive de tranquilizar as pessoas. O cabelo branco ou é um sinal de velhice ou parece negligenciado e despenteado. Acho-o muito elegante. Mas eu tinha de me justificar a toda a hora.
E depois houve uma outra fase, quando estava a crescer, em que todos me olhavam na rua. Sentia-me como se tivesse uma deficiência. Foi bastante duro, especialmente porque gosto de ser discreta. O meu companheiro disse-me que era melhor levantar questões do que ignorá-las.
Hoje, as coisas mudaram: as pessoas perguntam-me como consegui ficar com este cabelo branco, onde fiz as minhas madeixas, etc. Todos adoram. É verdade que com uma cara jovem, aos 30 anos, sei que é muito mais fácil. Há mulheres que me dizem: tenho 90% de cabelo branco mas não vou conseguir lidar com isso porque tenho 50 anos; não sou como tu. Mas à minha volta, no escritório, estou a ver cada vez mais mulheres que deixam de pintar o cabelo.

Hoje, tomo conta do meu cabelo porque o quero fazer.
rf_mag_mmhai_mathildelevaudi_verbatim_visual_3_4-5

Como reagiu ao resultado muito gráfico e original de duas tonalidades?

Gosto muito desta fase, deste preto e branco. Há um verdadeiro contraste. Acho que vou ficar bem com o cabelo totalmente branco, mas talvez volte a brincar com pequenas pontas pretas! Qualquer que seja a evolução, tem sido uma libertação. Agora, hoje, tomo conta do meu cabelo porque quero.

A rotina da Mathilde

Todos os dias: Gosto de usar pequenos carrapitos soltos. Gosto de manter o meu cabelo penteado/despenteado, que continua a ser bastante elegante. É a minha cena. Deixo-o viver.

01

Todos os dias: Gosto de usar pequenos carrapitos soltos. Gosto de manter o meu cabelo penteado/despenteado, que continua a ser bastante elegante. É a minha cena. Deixo-o viver.

Durante o dia: com um chapéu bucket, mal se consegue ver a parte branca, apenas as pontas pretas. Um efeito “uau” garantido quando mostro o meu cabelo!

02

Durante o dia: com um chapéu bucket, mal se consegue ver a parte branca, apenas as pontas pretas. Um efeito “uau” garantido quando mostro o meu cabelo!

Para sair: estampados a preto e branco, sempre muito gráficos, e um batom de tom vivo, que acrescenta um toque de contraste.

03

Para sair: estampados a preto e branco, sempre muito gráficos, e um batom de tom vivo, que acrescenta um toque de contraste.

O acessório obrigatório: os meus óculos, nunca me esqueço deles!

04

O acessório obrigatório: os meus óculos, nunca me esqueço deles!

Os nossos produtos criados para si

Champô Antiamarelecimento

Okara Silver

Champô Antiamarelecimento

Limpa suavemente, neutraliza tons amarelos

Bálsamo Cuidado de Luminosidade

Okara Silver

Bálsamo Cuidado de Luminosidade

Desembaraçar, neutraliza tons amarelos

Produto principal
Máscara Nutrição Intensa

Karité Nutri

Máscara Nutrição Intensa

Desembaraça instantaneamente, nutre profundamente

HC_FOOTER_1
Back to top